Milano

Quando falamos da Itália, é impossível não pensar em arte, moda, design, música, culinária e vinhos. Mas se tivermos que reunir todos esses símbolos italianos num só lugar, Milão é, sem dúvidas, a cidade que melhor resume o que há de melhor, mais moderno e tradicional no país.

Estava passando alguns dias em Zurique, quando resolvi visitar Milão num domingo. Saindo da Suíça para Itália de trem, a viagem leva de 3 a 4 horas. Como você já deve ter ouvido falar, o sistema ferroviário europeu é fantástico (as paisagens maravilhosas são apenas um bônus), sendo possível viajar entre países no mesmo dia, sem o menor stress ou atrasos. Para quem vem da Alemanha, Suíça ou França, a cidade de Milão é porta de entrada principal da Itália e sua Estação Central de trem, um importante ponto de intersecção.

Ali mesmo da Estação Central é possível  ter uma ideia da dimensão da metrópole italiana, com seus contrastes arquitetônicos e sua diversificação cultural – pessoas de diversas partes do mundo, turistas e diferentes “cidadãos italianos”.

Pegamos o metrô (super tranquilo, fácil e rápido) e seguimos direto para a estação Duomo, onde fica a famosa Piazza Duomo, no centro antigo de Milão. A Praça da Catedral é um dos pontos mais movimentados da cidade e vive lotado de turistas o ano inteiro, isso porque na Piazza estão algumas das principais atrações turísticas de Milão: a Catedral Duomo di Milano (a terceira maior mundo) e um dos mais antigos shoppings da história, a luxuosíssima Galeria Vittorio Emanuele.

Duomo di Milano

A catedral é uma obra-prima da humanidade. É preciso conhecer pessoalmente para entender o significado da expressão “riqueza de detalhes”. Construída em estilo gótico (destoando da maioria das construções típicas italianas), a catedral tem 8.200 blocos de mármore e 2.300 estátuas (só do lado de fora). Dizem que levou séculos para ser finalizada, mas ela foi inaugurada oito anos após o início de suas obras, já que o rei Napoleão cismou que seria coroado lá. Mas quem deu fama mesmo a Duomo foi Silvio Berslusconi, quando foi atingido por uma réplica da catedral, fielmente reproduzida com suas 136 pontas agudas!

Galeria Vittorio Emanuele

Conhecida pelos milaneses como o “Salão de Milão”, a Galeria Vittorio Emanuele é um deleite para os olhos. Um dos mais antigos shoppings do mundo foi construído no século XIX, com arcadas cobertas de ferro e vidro, além de mosaicos (com figuras de brasões da cidade) no chão. Num deles, o Turim, acontece a curiosa tradição de girar o pé três vezes sobre os testículos do touro da gravura. É super divertido e segundo a tradição, traz boa sorte para quem resolve pagar o mico. Claro que eu não pensei duas vezes!

Em Milão há muitas edificações históricas, monumentos e museus. Caminhe pelos arredores da Piazza Duomo e irá conhecer lugares bonitos e interessantes, além de uma infinidade de restaurantes típicos com mesas ao ar livre, oferecendo ao visitante todos os sabores da Itália! A culinária dispensa qualquer comentário, mas o jeitão “buona gente” dos italianos, é sem dúvidas, o tempero indispensável para uma visitinha de domingo.