para onde ir

Planejar uma viagem com a família nunca é uma tarefa fácil, especialmente com tanta variação cambial. Ir para o exterior ficou mais caro, embora a maioria dos brasileiros ainda prefira viajar para fora do país a ter que passear no Brasil. É ridículo, mas é verdade: viagens dentro do país costumam ser mais caras, considerando o custo/benefício.

O dólar disparou. E agora?

O fato é que essa notícia pegou muita gente de surpresa, principalmente para quem já havia comprado a passagem para os EUA. E agora? Nesses casos não há muito o que fazer a não ser diminuir o padrão da hospedagem e restaurantes, reduzir a lista de compras (de eletrônicos principalmente) e evitar usar cartões de crédito. Além de pagar o IOF alto, a taxa de câmbio dos bancos (sempre mais salgada) é fechada no dia do faturamento. Ou seja, você vai pagar o valor do dólar referente ao dia em que sua fatura é fechada, o que te torna refém da maldita variação. Isso sem contar aquelas taxinhas desagradáveis. Leve dinheiro em espécie. Sempre! Isso vai ajudar a controlar seus gastos e a não cometer desatinos.

Como se planejar?

A dica dos especialistas é que a compra da moeda americana seja feita aos poucos (durante os meses que antecedem a viagem) estando sempre atento  aos dias em que a cotação está melhor para compra. E se você está esperando o valor da moeda baixar, as previsões não são nada animadoras. A tendência é que o dólar valorize ainda mais até o final do ano, chegando, de acordo com ecoomistas, a inacreditáveis R$ 4,00. Se for fazer a operação em casas de câmbio, faça antes de viajar para evitar comprar dólares em aeroportos, onde a cotação é sempre mais alta.

Outra dica para quem quer se planejar melhor é comprar as passagens com meses de antecedência. Em época de dólar alto, o melhor mesmo é usar milhas para emitir os bilhetes (mas não pode deixar para última hora ou corre o risco de não encontrar passagens disponíveis para as datas escolhidas). Não esqueça de reverter os pontos do seu cartão de crédito para cartões de fidelidade das companhias aéreas.

Para onde ir???

Quem não comprou ainda as passagens das próximas férias ou desistiu de viajar para os Estados Unidos, a minha dica é aproveitar para conhecer destinos nos nossos países vizinhos, onde quase não houve grande variação e o real continua valorizado. Países como Argentina, Chile e Colômbia são boas opções para quem não quer gastar muito e  ainda conhecer lugares incríveis como San Carlos de Bariloche, Viña del Mar, Santiago, Patagônia, Cartagena ou o deserto do Atacama. Nada mal, hein?