Foi na cidade de Belém que eu vivi um dos momentos mais emocionantes de todas as minhas viagens! Desde que pisei na Terra Santa, a ansiedade para visitar a gruta onde Jesus nasceu, era muito grande.

Belém é um dos maiores pontos de peregrinação da Terra Santa. Na cidade, que fica no lado palestino, abriga a Basílica da Natividade, construída sobre a gruta onde Maria deu a luz à Jesus.

Basílica da Natividade

Pela porta da humildade (a porta é pequena e todos precisam se abaixar para poder passar) os visitantes entram naquela que é uma das igrejas mais antigas da história. Ela é diferente de todas as igrejas que eu visitei na Terra Santa.

Obviamente eu não consegui segurar as lágrimas na pequena gruta, apesar de toda a agitação dos turistas  e tumulto. Aliás, não fosse minha concentração e emoção incontida, eu poderia ter ficado irritada com tamanha falta de respeito dos passantes e guias turísticos que, aos gritos, não deixam os visitantes ficarem mais que alguns segundos diante da estrela. Oração mesmo, só é possível fazer no local da manjedoura.

Ao lado da Catedral, hoje “dividida” entre os Ortodoxos e os Armenos, está a belíssima igreja católica de Santa Catarina, um lugar mais tranquilo e de construção mais recente.

Belém, que também é conhecida como a Cidade de Davi, não permite a entrada de judeus (por ficar situada no lado palestino).