aviao

aviao Na hora de viajar ninguém quer saber de problemas não é verdade? Otimismo é maravilhoso, mas o fato é que a prevenção garante o sucesso de uma viagem feliz do começo ao fim. Sem querer ser chata, preciso lembrar que algumas situações que podem comprometer todo seu planejamento e suas férias. Mesmo para os viajantes mais experientes, há detalhes que podem passar despercebidos ou simplesmente ignorados. São cuidados com a saúde que começam ainda no avião e devem estender durante todo o passeio.
Com base nas minhas experiências e nos perrengues que já passei, listei alguns problemas comuns e cuidados essenciais para evitar situações mais críticas em viagens.
NO AVIÃO

Alergias e problemas respiratórios – Pessoas alérgicas e que sofrem problemas respiratórios devem ter atenção redobrada nos aviões por causa das condições do ar e pressurização.
O que fazer? Não deixe de levar seu antialérgico, soros e descongestionantes nasais.
Vale lembrar que viagens aéreas são contraindicadas para pessoas com infecções respiratórias ativas porque além de agravar os sintomas, pode haver risco de disseminação.

Desconforto nos ouvidos – Um em cada três passageiros sente desconforto nos ouvidos por causa da diferença de pressão atmosférica, o que pode causar dor e até mesmo perda de temporária da audição.
O que fazer? Forçar a saída do ar, tapando o nariz, estabiliza a pressão. Se estiver resfriado ou gripado consulte um médico pois há risco de lesão no ouvido. No caso de bebês ou crianças pequenas, os pais devem colocar chupeta nas decolagens e aterrissagens, para ajudar a reduzir a pressão.

Fluxo de oxigênio – Outro efeito da pressurização pode ser a baixa da concentração de oxigênio no organismo, o que pode causar sonolência, dor de cabeça, tontura, espasmos musculares entre outros sintomas mais graves.
O que fazer? É muito difícil prever esse tipo de problema, mas é bom evitar o consumo de álcool que contribui para a diminuição da oxigenação no cérebro.

Problemas alimentares – É preciso tomar cuidado com o que você ingere durante o voo. Obviamente as companhias fazem inspeção dos alimentos e dificilmente acontecem casos de infecção alimentar mais graves. De qualquer forma, é sempre bom avaliar a reputação da companhia aérea que você escolheu.
O que fazer? Evite ingerir peixes crus, carnes malpassadas, saladas ou laticínios (se for comer é sempre bom checar validade). Já estive num voo que os comissários tiveram que recolher todas as manteigas. Para evitar desconforto intestinal, não consuma bebidas alcoólicas, gasosas e alimentos ricos em fibras.

Cuidados para gestantes – As grávidas devem estar atentas a sintomas como dores ou pequenos sangramentos no início da gestação, não sendo recomendado voar nesses casos.
O que fazer? É importante fazer uma consulta médica antes da viagem e nos casos de gravidez avançada (após a 36ª semana), é preciso uma autorização médica para poder embarcar.

Cólicas menstruais – Mulheres que costumam sentir cólicas nos primeiros dias do ciclo devem evitar viagens longas ou se munir com analgésicos pois há possibilidade de agravar, e muito, a dor. Eu que o diga…

Inchaço e formigamentos nas pernas – Muito comum para quem fica muitas horas sentado na mesma posição.
O que fazer? Ative a circulação através de movimentos nas panturrilhas e nos pés (de rotação) mesmo sentado na poltrona. Em voos mais longos eu costumo caminhar bastante pelo avião e fazer alongamentos.

Vulnerabilidade de recém-nascidos – É prudente que se espere pelo menos duas semanas de vida até a viagem. Vale lembrar que um bebê ainda não possui todas defesas orgânicas, sendo essencial comunicar seu médico antes de fazer uma viagem aérea.

Cirurgias recentes – Pessoas que passaram por cirurgias recentes também devem evitar voos, a menos que o médico dê autorização

NO DESTINO

Fuso-horário
Diferenças de fuso-horário podem causar fadiga, insônia, irritabilidade e problemas horários das refeições. O que fazer? Depois de voos muito longos é normal sentir cansaço e vontade de dormir. A recomendação é tentar se aproximar o máximo possível do horário do destino. Eu já sofri muito com fuso-horário, mas quando vou para lugares onde a diferença de horas é maior, tento segurar o sono até a noite para dormir no horário certo.

Água e alimentos
Alimentos que são deixados ao ar livre ou que ficaram armazenados por muito tempo podem causar intoxicação alimentar e estragar de vez a sua viagem.
O que fazer? Lave bem as mãos antes de comer e evite ingerir alimentos crus ou malpassados. Veja bem a procedência do restaurante e não coma comida feita nas ruas. Outro ponto importante é avaliar bem o país para onde se viaja. Depois de ter passado maus momentos na Tailândia eu aprendi a lição. Água, só mineral e engarrafada. Molhos que não sejam frescos, nem pensar!
Bebês e crianças exigem cuidados redobrados pois elas têm seu sistema imunológico totalmente desenvolvido.

Observações!

Depois de ler tudo isso pode ser que você tenha ficado um pouco assustado, mas a intenção é apenas alertar! Basta manter hábitos saudáveis e prestar atenção em tudo à sua volta, já que longe de casa as coisas podem ficar bem complicadas.
Fazer um bom seguro de viagem e levar consigo medicamentos emergenciais (já disse aqui que nem tudo você encontra facilmente, dependendo do país) são as recomendações mais comuns.
Boa viagem!