“Onde gostaria de passar suas férias?” A maioria das pessoas provavelmente irá responder que adoraria viajar para o Caribe.  Impossível não pensar na cena clássica dos dois coqueiros, uma rede, mar azul e um drink cheio de “frufru”. Como boa baiana que sou, posso afirmar que o meu natural conhecimento no quesito praia somado a nossa hierarquia cultural – que “justamente” ou não, nos tornou um tanto sábios no assunto “descanso” – não só me faz concordar 100% com a idéia, como me dá uma condição especial de avaliação nesse assunto.

 

 


Eu tive a sorte de conhecer muitos lugares bonitos, mas devo admitir que se e há na Terra alguma coisa parecida com o paraíso ou “closer to heaven”, com certeza esse lugar é BVI: Ilhas Virgens Britânicas, que obviamente são ilhas caribenhas. Deixa eu explicar… Por questões governamentais, as Ilhas Virgens foram divididas em dois territórios: americano (U.S Virgin Islands) e britânico (British Virgin Islands), embora elas estejam nos mares do Caribe.

 

De Miami ao Caribe

Saindo de Miami há duas formas de chegar em BVI e seja qual for a opção, não deixa de ser uma aventura. Você pode ir até a cidade de Saint Thomas (mais ou menos 2h40m de vôo) e de lá segue de barco para ilha de Tortola, ou simplesmente pegar um vôo até a capital de Porto Rico, San Juan, (mesmo tempo de vôo) e completar a viagem a bordo de um bimotor. É um daqueles momentos inesquecíveis que te enchem os olhos e tiram você, literalmente, do chão. Sobrevoando as ilhas, é possível entender porque o nome “virgem” não se distancia da realidade; na verdade nos aproxima do surreal, uma vez que maior parte delas são inabitadas. Talvez as fotos tiradas dêem uma noção melhor da visão privilegiada e da sensação de ver a natureza tão viva! Existe mar mais azul e água mais transparente?

Tortola

Esse ano estive em Tortola pela terceira vez, o que me faz sentir um pouco íntima do local e, claro, me deixa mais a vontade para escrever. A maior ilha do arquipélago – que também é formado por Virgin Gorda, Anegada e Jost Van Dyke – tem pouco mais de 20 mil habitantes, sendo que 18mil vivem em Road Town, a capital.  Ainda assim eu sempre me pergunto onde estariam todas essas pessoas, já que as praias ficam quase sempre desertas. Um verdadeiro “luxo” para os turistas – são quase meio milhão por ano, a maior parte americanos.

Coberto de verde, enseadas paradisíacas e baias pontuando a costa, Tortola tem lugares maravilhosos para serem explorados. Por pouco mais de cem dólares é possível alugar um barco e passar o dia passeando ao redor da ilha. Outra dica é alugar um Jipe assim que desembarcar, já que o lugar é cheio de subidas e descidas e fica mais fácil chegar a certos pontos com esse tipo de carro. Sem contar que alguns restaurantes (principalmente com vista panorâmica) têm acesso um pouco difícil. A comida é deliciosa e os pratos, só de olhar, deixam qualquer um de água na boca. Não posso deixar de mencionar o Sugar Mill, um restaurante gourmet, de comida requintada e arquitetura interessante. Todo construído em pedra, o lugar foi uma antiga usina de açúcar (antiga mesmo, de 370 anos).

Similaridades …


Curioso que o ambiente romântico e tropical de um dos meus restaurantes favoritos, foi um dia cenário de trabalho escravo africano, durante um longo período de colonização européia. Assim como a Bahia, a descendência africana é forte e o povo é bem alegre e simpático. Para celebrar a emancipação dos africanos, todos os anos no mês de agosto, eles comemoram o Carnaval! Sim, eles também tem carnaval ao som de muito reggae, calypso e carros alegóricos nas ruas. E por falar em diversão,  reggae, salsa e merengue, são alguns dos ritmos que você irá dançar nos pubs todas as noites, se por acaso se “cansar” de tanta “maresia”.

Caro leitor, se você não respondeu Caribe na primeira frase desse texto, tenho quase certeza que a essa altura você está reconsiderando a idéia ou o roteiro das próximas férias. Verão o ano inteiro, BVI é uma boa pedida a qualquer época. E uma pina colada também!